A QUE VEIO ESTE BLOG?
VEIO PARA DIVULGAR PROJETOS NOS MAIS VARIADOS CONTEÚDOS, TEMAS, FORMAS, NECESSIDADES E AFINS, CLARO!
SINTA-SE A VONTADE PARA USUFRUIR DE TUDO QUE FOR ÚTIL PARA SUA AULA.
DIVULGUE, PARTICIPE, COMENTE!
04 DE JULHO DE 2011
Um blog aliado às pesquisas de professores, pois existem muitas possibilidades lúdicas pela net,
além de inúmeros endereços pedagógicos incríveis.
Aqui vocês terão as postagens originais, ou partes delas,
adicionados às demais informações necessárias, com os devidos créditos atribuídos.
Amiga blogueira, se desejar divulgar seus projetos, entre em contato.

PROJETO DIDÁTICO

PROJETO DIDÁTICO: Reunião de atividades que se articulam para a elaboração de um produto final forte, em que podem ser observados os processos de aprendizagem e os conteúdos aprendidos pelos alunos. Costuma partir de um desafio ou situação-problema. Trabalhados com uma frequência diária ou semanal, podem estender-se por períodos relativamente prolongados (um ou dois meses, por exemplo), tornando os alunos especialistas num determinado tema.

domingo, 25 de novembro de 2012

Projeto Natal

I  JUSTIFICATIVA:
Qual a tradição que nossa família possui para comemorar o Natal?
Qual a origem desta tradição? E as origens das peculiaridades desta festa, como as meias na lareira, o pinheirinho, a bola de enfeite, o canto do galo, as castanhas, a troca de presentes, o presépio? Qual o significado histórico/religioso do Natal?
Este projeto surgiu ao pensarmos no tema Natal, no quanto ele pode ser atrativo para as crianças, nas questões acima e em tantas outras que poderão surgir na busca de respostas às mesmas.
Pretende-se conduzir uma série de atividades que facilitem a aquisição e construção de conhecimentos das tradições de Natal pelos alunos de forma participativa, descontraída , buscando integrar a perspectiva de diversas áreas envolvendo aspectos históricos, sociais, culturais, biológicos, comerciais, etc.
II- Conteúdos:
1. CONTEÚDOS CONCEITUAIS:
• Saber sobre a origem da data, quem foi Jesus?
• Reconhecer a importância das boas ações para nossa vida.
• Compreender a importância do nascimento de Cristo para a Humanidade, e o que ele nos ensinou.
• Conhecer os significados dos vários símbolos natalinos:
- Por que na ceia de Natal sempre há castanhas? (Ciências)
- Por que Papai Noel usa roupas de inverno? (Geografia)
- Por que as pessoas trocam presentes no Natal? (História Religiosa)
- Por que tem gente que como peru no Natal? (História)
- Qual o significado dos enfeites como pinheirinho, bolas de vidro, neve, presépio, meia na lareira, etc? (História)
- Qual pode ser o motivo dos "amigos-secretos" entre os familiares? (Economia)
- E os contos, filmes, sobre o Natal ?... Que tal ler, assistir, discutir, escrever sobre eles
• Perceber a importância de se estar junto de quem se ama, confraternizando e compartilhando do verdadeiro espírito de Natal!
2. CONTEÚDOS PROCEDIMENTAIS:
• Ouvir histórias, poesias e textos informativos relacionados ao tema.
• Realizar atividades que proporcionem a confraternização, o construir conjuntamente.
• Observar as diversas tradições de comemorar o natal pelo mundo, inclusive dos países não Cristãos.
• Analisar as comemorações das famílias dos alunos e discutir sobre as diferenças.
• Ouvir músicas, assistir a vídeos que tratem do tema.
• Construir presentes artesanais que serão trocados nos amigos-secretos.
• Confeccionar enfeites para a árvore da Emei.
• Realizar atividades diversificadas que envolvam todas as áreas do conhecimento.
3. CONHECIMENTOS ATITUDINAIS
• Que a criança saiba que o natal representa o amor de Jesus, e a importância de suas mensagens para melhorar o mundo em que vivemos.
• Que perceba o verdadeiro significado de praticar boas-ações e continue a fazê-las todos o dias de sua vida.
• Participar de momentos de união que os socializem e os marquem para sempre positivamente.
• Ser um agente multiplicador de conhecimentos sobre
• Valorizar a família,
• Desvencilhar o natal do comercial, da necessidade do presente.
II – OBJETIVOS GERAIS:
• Incentivar a criança e o jovem a vivenciar o amor e o respeito pelas pessoas;
• Valorizar a convivência familiar, a vivência do amor entre as pessoas;
III- ETAPAS PREVISTAS
LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
• Leitura de textos, histórias poesias que falem sobre o assunto.
• Produção coletiva de pequenos textos.
• Escrita espontânea.
• Cruzadinhas, caça-palavras.
• Atividades com alfabeto móvel.
• Atividades diversificadas envolvendo a escrita de palavras significativas sobre o assunto estudado.
MATEMÁTICA
• Situações-problema envolvendo o tema.
• Estatísticas (quantos países comemoram o natal, quantos não comemoram).
NATUREZA E SOCIEDADE
• Observação do ciclo da água.
• Conversa sobre o desperdício da água nas diversas situações cotidianas.
• Experiências diversas com a água nos estados : sólido/líquido/gasoso.
• Passeio ao redor da escola observando a ação da chuva no bairro e a ocorrência de esgoto a céu aberto.
• Vídeos que abordam o tema.
• Pesquisa sobre as comemorações do Natal pelo mundo e suas peculiaridades.
ARTES VISUAIS
• Desenho livre e de observação.
• Recorte e colagem
• Dobraduras
• Releitura de obras de arte
• Modelagem com areia e argila
• Técnicas de pintura.
• Confecção de caixinhas para a troca de presentes.
• Confecção dos enfeites da árvore.
• Confecção dos tsurus pelas professoras ( 20 cada)                                                                

MÚSICA E MOVIMENTO                                                                                                                   

• Atividades diversas , músicas e cantigas relacionadas ao tema.

• Cd especial de natal (gravado especialmente para a data)

• Corais de músicas natalinas

AVALIAÇÃO
• Hora social e/ou exposição de trabalhos.
• Carinha das crianças.

DESENVOLVIMENTO
1ª Etapa
• Fazer um levantamento com as crianças sobre o que sabem sobre o natal, relatando também como é comemorado o natal em sua casa, Se na família de alguma criança não possuir esta tradição, questionar os motivos deste fato.
• Assistir o vídeo sobre o nascimento do menino Jesus, e depois construir o presépio junto de cada professora,
2ª Etapa
• Cada professora confeccionará 20 tsurus e fará um pedido de natal, ou um agradecimento com a turma depois de conhecerem a lenda japonesa.
• Pendurar os Tsurus pela escola.
• Cada turma criará um cartaz do seu gosto com uma mensagem de natal criada pela turma para enfeitar as paredes do pátio.
• Cada professora encherá 20 bexigas para enfeitar a escola na semana do natal.
• Cada turma será responsável por confeccionar 10 enfeites para a árvore de natal, de acordo com as sugestões. (Ver final do plano).
3ª Etapa
• Apresentar no final do projeto (dia da confraternização final), ou uma música, dança ou peça de teatro.
• Cada turma fará um pequeno painel com atividades feitas durante o projeto para exposição.
• Fazer uma oficina com as crianças de confecção de caixinhas de presentes, que serão pintadas por eles e com balas, e serão trocadas através de amigo-secreto. Trocar bilhetes também.

http://bancodeatividades.blogspot.com.br/2009/11/projeto-natal-para-educacao-infantil.html



segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Projeto : Festa do pijama

Viviana a rainha do pijama
VIVIANA- Rainha do Pijama, uma menina que tinha um lindo pijama, porém tinha muitas dúvidas e ficava a pensar “ Que pijamas os animais usam quando vão dormir?” Então, para descobrir ela resolveu fazer uma festa do pijama convidando todos os animais da floresta e esses deveriam usar seus pijamas, pois o pijama mais animal ganharia um prêmio. No grande dia da festa os animais chegaram com seus lindos pijamas. Cada animal fez seu pijama levando em conta suas características próprias. Na hora do prêmio os animais estavam muito alvorotados, queriam saber logo qual era o pijama mais animal que seria o vencedor. E o vencedor do concurso do pijama foi a própria Viviana, pois o pijama dela reunia características de todos os animais da floresta. Cada parte do pijama lembrava de um determinado animal.
JUSTIFICATIVA:
 O objetivo da atividade e da história  será mostrar para as crianças que somos todos diferentes, e essa diferença deve ser respeitada e aceita por todos, sempre trabalhando a união do grupo.
OBJETIVOS:
  Reconhecer as letras do alfabeto e as famílias silábicas;
Ler pequenos textos, ajustando o oral ao escrito;
 Construir conhecimentos sobre o funcionamento da escrita alfabética
Percepção visual;
Exploração de mapas.
TEMPO ESTIMADO:
01 Semana
DESENVOLVIMENTO:
·         Apresentação do livro: VIVIANA, RAINHA DO PIJAMA
·         Apresentação do autor do livro: Steve Webb
·         Apresentação  da história em Power Point
·         Manipulação do  livro com a turma para folhear e conhecer a história
·         Apresentação do título: VIVIANA, RAINHA DO PIJAMA
·         Estudo das famílias silábicas presentes no título
·         Distribuição de tarjetas com o título para ser formado pelos alunos
·         Estudo das letras do alfabeto, identificando-as na história
·         Estudo dos animais apresentados na história (desenhos, lugar onde moram, características, nomes ...)
·         Distribuição de figuras dos animais  e localização no mapa mundi com auxilio da professora para a localização de cada animal
·         Confecção de cartazes
CULMINÂNCIA:
Festa do Pijama com todas as turmas das séries iniciais (pré, 1º, 2º e 3º  anos do turno da manhã)
AVALIAÇÃO:
Partindo do pressuposto da necessidade de incentivar nos educandos o apreço pela literatura, a utilização da literatura infantil, aliada a intervenções lúdicas, motiva os alunos a ajudar toda a instituição na realização do projeto após a culminância, são respeitadas as competências adquiridas pelos alunos, que continuarão a utilizá-las em outras situações.


Vejam aulas sugestivas no Linguagem!


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Projeto A arca dos animais

A Arca dos animais que conheço ...e será que tem mais?

Justificativa
 O projeto surgiu da necessidade de se criar uma consciência de preservação dos animais, não só daqueles que estão prestes a extinguir-se, mas também daqueles que nos cercam os quais estão diretamente ligados a nossa sobrevivência.
 O tema do projeto desperta o interesse natural das crianças desta faixa etária que, em geral, contam com várias informações relativas a ele. Os animais têm uma importante presença em seu mundo cotidiano (desenhos animados, histórias, jogos) e, além disso, possuem um importante caráter de identificação de suas vivências pessoais e sociais. Este estudo facilitará a correlação entre diversos animais e destes com seu ambiente que serão aprofundadas e ampliadas.
 Com este projeto queremos comparar o que um animal faz e que podemos transmitir para a criança também fazer, pois, sabe-se que a criança aprende primeiro quando a ensinamos e quando começa a dar seus primeiros passos sozinhas é através da imitação, a fase a qual se encontra nesse momento.
 Acredita-se que através deste trabalho podemos trabalhar com a criança muitas situações de faz de conta e depois trazê-las a realidade. Pois tudo começa através do faz-de-conta.
 Segundo o REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA EDUCAÇÃO INFANTIL, (1998: 31):

O professor pode propiciar situações para que as crianças imitem ações que representam diferentes pessoas, personagens ou animais, reproduzindo ambientes como casinha, trem, posto de gasolina, fazenda etc.
 O trabalho sobre animais trabalha muitas situações do cotidiano, como, por exemplo, alimentações, como nos conduzem e podem conduzir os animais, ou seja meios de transporte, noção de quantidade pelas características que os bichinhos nos demonstram, até mesmo situações de geografia, então o projeto é totalmente interdisciplinar, ou seja, trabalhará muitas situações em que a criança ainda poderá viver. Estaremos relacionando o projeto com situações e atividades que envolvam também a matemática, linguagem oral e escrita, coordenação motora ampla e fina, ou seja, o cronograma anual do jardim "A" está incluído neste trabalho também.

A construção deste conhecimento também é uma das condições necessárias para que as crianças possam, aos poucos, desenvolver atitudes de respeito e preservação à vida e ao meio ambiente, bem como atitudes relacionadas à saúde. (Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil - Vol. 3, 1998).
 Ao pensar a função pedagógica, nasce o pressuposto de um trabalho que toma a vivência e os conhecimentos prévios da criança como ponto de partida e os amplia, no intuito de levá-la à construção de novos conhecimentos.
 Ampliar dentro desse contexto significa valorizar suas descobertas e incentivar sua espontaneidade e criatividade.
 Abraçar a proposta de uma Educação que privilegia a criança desta forma é um desafio e ao mesmo tempo um privilégio.
 E foi pensando nesta responsabilidade que escolhemos o tema "animais" para trabalhar com as crianças do jardim A neste semestre.

Muitos são os temas pelos quais as crianças se interessam: pequenos animais, bichos de jardim, dinossauros, tempestades, tubarões, castelos, heróis, festas da cidade, programas de TV, noticias da atualidade, historias de outros tempos etc. as vivências sociais, as histórias, os modos de vida, os lugares e o mundo natural são para as crianças parte de todo integrado.(Referencial Curricular para a Educação Infantil: Conhecimento de Mundo. Brasília, MEC/SEF, 1998, v.3, p. 163).

Não é à toa que muitos livros infantis, e filmes elegem os mais variados bichinhos como personagens principais.
 As crianças nutrem um verdadeiro fascínio pelos animais, que na perspectiva delas, são tão irresistíveis como os seus brinquedos, mas com atrativos a mais: são seres vivos, demonstram raiva ou afetividade e possuem algumas necessidades semelhantes às dos homens (comer e beber,por exemplo).
 O estudo dos animais traz associações concretas entre o ser humano, a natureza e o mundo animal. À criança é oferecida a oportunidade de sair do conceito "eu" para conhecer o outro.
 A associação do tema "animais" com as várias áreas do conhecimento permite ao educando aprender sobre si mesmo e sobre o meio ambiente, sobre cidadania e a responsabilidade que temos para com nosso planeta.
 "... a criança é sempre mais capaz de compreender e fazer na ação do que de expressar verbalmente e conscientemente os princípios nos quais se baseiam suas ações..." (Piaget, 1997).

Objetivo geral
 Despertar na criança um senso crítico sobre a natureza e seus cuidados, bem como, conhecer o mundo animal a fim de defendê-lo e saber discernir o certo do errado quando falamos de natureza e sua preservação.

Objetivos específicos
 Conhecer os diversos animais apontando para sua diversidade (locais onde vivem, sua alimentação, seus hábitos e outras peculiaridades relativas a cada espécie);
Definir de diversos animais suas principais características;
Estimular na criança, o interesse durante as atividades e descobertas feitas por meio de situações concretas no meio escolar;
Reconhecer que os animais são seres vivos;
Estabelecer as diferenças existentes entre os animais domésticos e selvagens;
Instigar na criança o cuidar dos animais sabendo dessa importância para o seu bem estar cotidiano.

Conteúdos conceituais
 Comparação de diversos tipos de animais através da observação;
Reconhecimento do alimento necessário ou preferido de vários animais;
Estudo sobre como vivem os animais;
Pesquisa a história de cada animal do interesse do grupo.

Conteúdos procedimentais

Classificação de diferentes animais pelas suas características (Diferenças e semelhanças);
Reconhecimento dos animais em extinção e/ou não;
Comparação de diversos animais, através da observação, pesquisa e estudos feitos no dia-a-dia;
Identificação: Domésticos e selvagens, úteis e nocivos, aquáticos, terrestres e aéreos, reprodução e habitat dos animais;
Seleção de alguns tipos de animais para pesquisa;
Utilização de diferentes fontes de informação e relacioná-las;
Resolução de atividades diversas baseando-se no que aprendeu sendo capaz de experimentar, construir, observar e se expressar;
Reprodução oral, comparação de silabas de animais e seus nomes;
Relatos de experiências de vida pessoal;
Aprimoramento da linguagem oral.

Conteúdos atitudinais
 Preocupação com a preservação da natureza;
Socialização das informações que os alunos possuem sobre o tema;
Que a criança valorize todo e qualquer animal sendo ele aparentemente mais ou menos importante;
Reconhecimento por parte da criança de que alguns animais estão em perigo e se interessem em preservá-lo transmitindo o que aprenderam para a sociedade;
Desenvolvimento de habilidades de saber lidar com determinados animais;
Que a criança reconheça que no mundo animal também se obedecem regras e hierarquias;
Que a criança seja um transmissor de conhecimento e também de consciência.

Operacionalização
 Elaboração de cartazes, álbuns, painéis, bonecos;
Classificação de animais;
Desenvolver atividades lúdicas;
Desenvolver atividades matemáticas;
Montar jogos, tabelas e gráficos;
Comparar pesos e medidas;
Formular questões pertinentes que apontem para a caracterização de determinado animal;
Contar histórias para o grupo mostrando gravuras de determinados animais;
Construções individuais, em grupos, e em duplas que possam transmitir espírito de grupo, novas amizades;
Exploração do saco surpresa;
Construção de atividades tridimensionais;
Vídeos e atividades do gênero demonstrando curiosidades sobre o objeto de estudo.

Avaliação
 Esta se dará através do processo de envolvimento da criança, seu interesse e a manifestação de idéias e atitudes no decorrer do projeto e posteriormente em situações e eventos do gênero. A criança aprende brincando e brinca aprendendo, respeitando seu tempo e suas idéias, você as leva ao mundo fantástico do descobrimento e ao mesmo tempo à compreensão das situações de aprendizagem.

 Referências bibliográficas
 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: Formação Pessoal e social. Volume 3. Brasília: MEC, 1998.
 SEBER, Maria da Gloria. Piaget: O diálogo com a criança e o desenvolvimento do raciocínio. São Paulo: Scipione, 1997.
 
Professoras:
Ângela Cristina Bittelbrunn Kikunaga
Josi Meurer Esser
Lediane Coutinho



sábado, 3 de novembro de 2012

Projeto Somos todos iguais e diferentes


Trabalhando a Inclusão através da Literatura Infantil – Janaína S. Darós
Aqueles que são diferentes de mim não me prejudicam; muito pelo contrário, eles me enriquecem. Nossa unidade se fundamenta em algo mais elevado que nós mesmos — no ser humano...(Antoine de Saint-Exupéry)
Muito se fala e se discute sobre a Inclusão, mas quem, pelo menos uma vez, não já se sentiu excluído da sociedade? Apesar de este ano a inclusão estar em destaque, há muito a fazer para que ela aconteça realmente na prática educacional.
A Inclusão Social depende de mudanças na maneira de pensar e agir da sociedade. Só assim é possível possibilitar às pessoas com necessidades especiais a busca de seu desenvolvimento e o exercício da sua cidadania. Segundo Delval, o trabalho escolar enquanto instituição social deve ser baseado no tipo de cidadão que a sociedade deseja formar. Assim sendo, um dos pré-requisitos para a Inclusão Educacional é principalmente preparar a escola, o educador e o educando para receberem os alunos com necessidades especiais.
A proposta de uma oficina literária que aborde a questão da Inclusão Escolar visa incentivar os alunos a respeitarem e reconhecerem as potencialidades e necessidades individuais.
Objetivo geral: promover a leitura entre o público estudantil, vinculando o aspecto lúdico da atividade ao conhecimento da realidade das pessoas portadoras de necessidades especiais, e fazer uma reflexão sobre a situação das mesmas, fazendo com que os alunos aprendam a conviver com a diferença e se tornem cidadãos solidários.
Objetivos específicos:
• Conscientizar professores, alunos, funcionários e os pais sobre o processo de Inclusão Educacional.
• Apresentar a realidade das pessoas com necessidades especiais através da Literatura Infantil.
• Trabalhar com sensibilização e vivências, experimentando o lugar do outro e suas necessidades específicas e refletindo sobre o preconceito e a aceitação pessoal e social dessas pessoas.
O trabalho de Inclusão Educacional não é um trabalho solitário do educador ou de uma classe, mas um trabalho coletivo, que deve ser compartilhado por todos na escola. Assim, seguem um planejamento elaborado para ser aplicado nas séries do primeiro segmento do Ensino Fundamental e os respectivos livros adotados em cada série.
1ª série – Ninguém é igual a ninguém, Regina Otero e Regina Rennó, Editora do Brasil.
2ª série – O menino que tinha rabo de cachorro, Maurício Veneza, Editora do Brasil.
3ª série – O olhar de pincel, Salvador Barletta Nery, Editora do Brasil.
4ª série – Balançando os sonhos, Salvador Barletta Nery, Editora do Brasil.
Alguém muito especial, Miriam Portela, Editora Moderna.
PASSOS DA OFICINA
1º Momento: Sensibilização
Leitura do livro Na minha escola, todo mundo é igual, de Rossana Ramos.
• A professora deverá fazer a leitura do livro para os alunos no datashow, episcópio ou retroprojetor. É necessário que o aluno veja o livro, pois ele é todo permeado por belas e agradáveis ilustrações, sendo uma interessante ferramenta nas mãos do professor e um veículo objetivo e direto para alunos diferentes, com o fim de mostrar que todos somos iguais, mesmo tendo cada um o seu jeito de ser.
• Debate sobre a mensagem do livro e registro, no caderno, das seguintes questões:
a) O que você entende que é ser igual?
b) O que o livro mostra, nas gravuras e no texto, que é ser igual?
c) Você concorda com a visão da autora sobre igualdade? Justifique sua resposta.
Obs.: Nas 1ª e 2ª séries, o registro deverá ser elaborado coletivamente, com a ajuda do professor.
2º Momento: Apresentação da Oficina Literária
• O professor deverá apresentar o livro a ser trabalhado em cada turma e explicar sobre o trabalho que será realizado.
• Registrar, no caderno, as referências bibliográficas do livro adotado.
• Pedir que os alunos leiam o livro em casa.
3º Momento: Análise do Livro
• Após a leitura do livro, desencadear uma discussão sobre o mesmo:
a) Qual o assunto do livro?
b) Qual a relação do livro que você leu com a obra lida pela professora: Na minha escola, todo mundo é igual?
c) Você conhece alguém que seja “diferente”, como mostra o livro?
• Elaborar, com os alunos, uma seleção de palavras que expressem o tema central da obra.
• Explorar com eles o significado de palavras como: inclusão, preconceito, igual, diferente, direitos, etc.
4 º Momento: Vivenciando
• 1ª e 2ª séries – Dividir a turma em dupla, vendar os olhos de um dos alunos da dupla e pedir que ele identifique os objetos que o colega lhe entregará. Cada aluno terá três objetos para descobrir o que é. Inverter o papel de cada aluno na segunda rodada.
• Cabe ao professor selecionar, previamente, os objetos utilizados na brincadeira e dividi-los em duas caixas, uma para cada grupo.
• 3ª e 4ª séries – Levar a turma para um pátio e, em círculo, fazer a leitura do texto abaixo:
Dicas para ajudar um deficiente visual
• Ao aproximar-se de uma pessoa cega, comunique-se dando um leve toque no ombro ou na mão, após pedir licença. Assim, ela saberá que você está dirigindo-se a ela.
• Se estiver conversando com um deficiente visual, avise-o ao se afastar, principalmente se o local for muito barulhento, pois ele poderá continuar falando sozinho.
• Ao guiar um deficiente visual, deixe que ele segure em seu braço acima do cotovelo, pois, pelo movimento do seu corpo, ele perceberá melhor o caminho a ser percorrido.
• Para conduzir um deficiente visual ou mudar de direção, indique sempre para o lado que vocês estão seguindo: esquerda ou direita, de acordo com a posição da pessoa.
• Ao passar por uma porta, procure sempre estar à frente da pessoa portadora de deficiência visual; em uma escada, fique sempre um degrau acima da pessoa, ao subir, ou um degrau abaixo, ao descer. Sempre avise antes de subir ou descer.
Texto adaptado do Centro de Integração e Apoio ao
Portador de Deficiência Rogério Amato – Cira
Dividir a turma em duplas e dar o seguinte comando:
• Agora que você já sabe como ajudar uma pessoa que não enxerga, escolha um amigo para fazermos uma vivência dessa situação no pátio da nossa escola.
• Um aluno da dupla será o guia, e o outro deverá vendar os olhos para ser guiado pelo trajeto determinado pelo professor.
• O professor deverá falar o trajeto a ser feito com os alunos-guias individualmente. Depois de realizado o trajeto, os alunos deverão trocar de papel: o que foi o guia agora será guiado pelo colega.
• Discussão após a vivência:
a) Depois de ter vivenciado a experiência de andar ou pegar objetos sem enxergar nada, relate qual foi o seu sentimento.
b) Você já sabe que nós possuímos cinco sentidos: visão, olfato, audição, paladar e tato.
• Quando fizemos a vivência no pátio, quais os sentidos que mais o ajudaram a cumprir a tarefa?
Obs.: O professor poderá explorar outras vivências, de acordo com a sua turma e com os materiais disponíveis. (ex: com cadeira de rodas, muletas, pés amarrados com meias-calças, protetores auriculares). Os alunos visitarão todas as áreas da escola, sempre avaliando, ao final de cada situação, como eles se sentiram e quais as dificuldades que enfrentaram.
5º Momento: Ensaio Fotográfico
• Dividir a turma em grupos e distribuir revistas.
• Cada grupo deverá selecionar figuras que mostrem as diferenças entre as pessoas. Pode ser figuras de pessoas com deficiência física ou mental, de pessoas muito ricas e pessoas miseráveis, de pessoas de outros países, de outras religiões, etc.
• Em grupo, selecione as melhores gravuras para compor o ensaio fotográfico, colando-as de forma harmoniosa e criativa em uma folha de cartolina.
• Nas primeiras séries, a professora pode sugerir o título do ensaio fotográfico, que pode ser Retratos da Diferença. Já nas 3ª e 4ª séries, peça que os alunos criem um título para o seu Ensaio Fotográfico.
• Os cartazes deverão ser colocados em algum lugar de destaque na escola, possibilitando que todos os vejam.
6º Momento: Aceitando as Diferenças
Orientar os alunos para produção de texto coletivo, dividindo a turma em grupos e distribuindo os comandos:
• Crie, com seu grupo, um cartaz que combata o preconceito. Pense em um texto curto, que estimule as pessoas a aceitarem as outras como elas são. Use a criatividade. O seu cartaz deverá abordar o tema do deficiente físico e será veiculado nos ônibus da sua cidade.
• Dono de uma agência de telemensagens, você foi contratado por um deficiente auditivo para sensibilizar as pessoas da sua escola para a situação dele. Escolha uma música bem legal e elabore um texto que será lido para todos no recreio. Seja criativo!
• Imagine que vocês foram convidados para um programa de TV, no qual deverão falar sobre a importância de aceitar as pessoas como elas são. O texto, escrito por vocês, ficará disponível no mural da escola. Portanto, sejam claros e objetivos.
• Após ler o livro adotado na sala, relacione a situação do livro com a situação real das pessoas portadoras de necessidades especiais em sua cidade. Escreva uma carta ao prefeito da sua cidade dando sugestões para melhorias que podem ser realizadas na cidade a fim de facilitar a vida dessas pessoas.
O professor deverá acompanhar sistematicamente cada grupo na feitura da tarefa.
7º Momento: Culminância do Projeto
• A culminância do projeto acontecerá em uma noite de solidariedade, com apresentações dos alunos de nossa escola em conjunto com alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais — Apae. Os alunos farão apresentações a partir das linguagens artísticas — a dança, a música, o teatro e artes visuais — utilizadas de forma lúdica, buscando promover a ampliação do repertório cultural, a troca de experiências decorrente da observação das habilidades, facilidades, dificuldades, limites e adaptações de cada um. Entre as atividades propostas, os alunos deverão criar, em grupo, composições mostrando as linguagens teatral, corporal e musical, utilizando o corpo como suporte.
• Será convidado um palestrante que possua alguma necessidade especial e que conseguiu vencer na sua profissão.
• Cada pessoa que vier assistir ao evento deverá trazer um litro de leite Longa Vida, que, posteriormente, será doado a entidades que apóiam crianças com necessidades especiais.
• Cada turma apresentará trabalhos resultantes das experiências com o livro literário.
• Os alunos das 4as séries ficarão responsáveis pela apresentação do evento.
8º Momento: Avaliação
Avaliar, com os alunos, a oficina literária e o crescimento individual no decorrer do projeto.





Projeto: Tudo bem ser diferente


 TUDO BEM SER DIFERENTE. NINGUÉM É IGUAL A NINGUÉM”

AUTORIA:Tânia Sampaio




Vejam postagem referentes a obra no Linguagem



quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Projeto Meninas Negras

Autora: Andreza S F de Melo Menezes
Período: Uma semana
Idade: Educação Infantil

Justificativa:
Vivemos num país pluricultural e com miscigenação das raças.
O preconceito também está presente no nosso dia a dia, e muitas vezes não damos conta deste problema. A escola de educação infantil deve trazer ao aluno um ambiente e integração e socialização, mostrando a criança a importância de se respeitar as diferenças dos seu grupo.
Pensando nisso, este "Projeto Meninas Negras" traz para sala de aula as diferenças e semelhança de cada indivíduo e a sua importância dentro do meio em que a cerca.

Objetivo Geral:
-Valorizar a raça e cultura negra, indígena e africana;

Objetivos Específicos:
- Entender as diferenças e semelhança e seus diferentes tons de pele;
- Compreender a origem da cor negra;
- Valorizar a respeitar o indivíduo independente de sua raça;
- Compreender a importância de se ter um amigo;
- Desenvolver atividades que envolvam musicalização e psicomotricidade, letras, números, cores, e formas geométricas.

Sugestões de atividades a serem aplicadas logo após a rotina diária:
- Leitura do Livro Meninas Negras (autora: Madu Costa)
- Interpretação de texto e atividades de escrita, colagens e pintura;
- Trabalhar musicalização e psicomotricidade: fazer junção da música com os movimentos de lateralidade;
- Confecção de cartazes com papel 



Vejam mais