A QUE VEIO ESTE BLOG?
VEIO PARA DIVULGAR PROJETOS NOS MAIS VARIADOS CONTEÚDOS, TEMAS, FORMAS, NECESSIDADES E AFINS, CLARO!
SINTA-SE A VONTADE PARA USUFRUIR DE TUDO QUE FOR ÚTIL PARA SUA AULA.
DIVULGUE, PARTICIPE, COMENTE!
04 DE JULHO DE 2011
Um blog aliado às pesquisas de professores, pois existem muitas possibilidades lúdicas pela net,
além de inúmeros endereços pedagógicos incríveis.
Aqui vocês terão as postagens originais, ou partes delas,
adicionados às demais informações necessárias, com os devidos créditos atribuídos.
Amiga blogueira, se desejar divulgar seus projetos, entre em contato.

PROJETO DIDÁTICO

PROJETO DIDÁTICO: Reunião de atividades que se articulam para a elaboração de um produto final forte, em que podem ser observados os processos de aprendizagem e os conteúdos aprendidos pelos alunos. Costuma partir de um desafio ou situação-problema. Trabalhados com uma frequência diária ou semanal, podem estender-se por períodos relativamente prolongados (um ou dois meses, por exemplo), tornando os alunos especialistas num determinado tema.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Projeto : Quem sou eu?


Duração: Em média duas semanas.
Objetivos:
Ao final do projeto os usuários deverão ser capazes de:
•Saber a história de sua vida;
•Conhecer a história e o significado de seu nome;
•Desenvolver a atenção para futura identificação de partes do corpo e órgãos dos
sentidos;
•Estimular o raciocínio e a percepção visual;
•Desenvolver a imaginação e a criatividade;
•Saber maior número de palavras e expressões antes desconhecidas ( Aumento e
enriquecimento do vocabulário );
•Identificar suas preferências em relação a tudo que o cerca, a sua realidade;
•Formar próprios conceitos através de descobertas e experimentações.
Culminância: Construção de um Mural coletivo e de um Álbum da vida – Individual.

“Se uma criança vive com aceitação e amizade; aprende a
encontrar o amor no mundo.”
( Eny e Esther Sarli)

1-Primeira Semana de Projeto:

•Em “rodinha” iniciar de maneira descontraída e atrativa uma dinâmica – O educador apresenta uma caixa, com tampa, decorada da maneira que achar mais atraente a seus usuários e dentro de suas possibilidades – Podendo ser caixa de sapatos, de madeira, de vime, de qualquer outro artigo que tenha consumido, ou até mesmo um pequeno baú.

•O educador apresenta a caixa dizendo que dentro dela tem o que existe de mais
precioso, de mais importante, um verdadeiro tesouro.

•Propõe, então, uma brincadeira onde cada um terá que olhar o que tem dentro da caixa, ver qual é este tesouro e manter segredo – Um a um devem olhar e voltar ao lugar sem poder contar o que viu – Esta é a regra da brincadeira: Manter segredo.

•Dentro da caixa deve conter um espelho, bem no fundo, do tamanho exato da mesma.
No momento em que a criança for olhar o tesouro verá refletida sua própria imagem.

•O educador  deve ficar atento a cada reação individual ao deparar-se com a própria imagem. É fundamental criar um clima de muito interesse provocando sempre: Qual será este tesouro?

•Após todos terem visto sua imagem refletida dentro da caixa e terem tido as mais diferentes reações, cuidando sempre para que não falem enquanto todos não olharem, abrir então o debate, a conversa informal.

•O que vocês viram dentro da caixa? Descobriram o tesouro?

•Aproveitar cada resposta dos usuários, orientando-os quando necessário, mas
propiciando que se expressem.

•A conversa deve fluir até o ponto em que o educador perceber que os usuários perceberam que eles são o tesouro – cada um deles – por isso não poderiam contar o segredo – pois todos somos únicos – Ninguém é igual a ninguém.

Após a realização da Dinâmica do Tesouro, ainda em círculo, sentados de forma confortável, provocar os usuários para que observem seus próprios corpos e façam comparações: __ Quem é mais alto? Quem é mais baixo? Quem tem a mesma altura? __Quem tem cabelos loiros? Quem tem cabelos castanhos? Quem tem cabelos pretos? __ Quem é negro? Quem é moreno? Quem é branquinho?
__ Quem tem olhos azuis? E castanhos? __ Quem é menino? Quem é menina?
E assim propor que se agrupem de diferentes formas:

Exemplos: __Vamos juntar todas as crianças que tem cabelo bem curtinho do lado esquerdo em pé e todas as crianças que tem cabelos compridos do lado direito sentadas. __Vamos juntar os meninos de um lado e as meninas do outro.
__ Agora vão pular só as crianças que tem olhos azuis ou verdes.

Assim, o educador pode ir brincando, criando diferentes situações de acordo com a sua turma, sempre tendo como objetivo que façam comparações a partir das diferenças e semelhanças existentes no próprio corpo e no corpo dos amigos.
Concluir a atividade quando não houver mais interesse da turma.

Num segundo momento, que pode ser no mesmo dia ou não, o professor vai apresentar uma ficha, previamente preparada, xeroca ou mimeografada onde as crianças terão que completar fazendo seu auto-retrato. As informações contidas na ficha podem ser anotadas por escrito pela professora caso a turma ainda não seja alfabetizada, todavia, é fundamental que sejam todas discutidas individualmente e em grupo.
Segue exemplo de ficha que pode ser adaptada caso o professor ache necessário.

2-Quem sou eu?

Meu nome é:________________________________________
Tenho____ anos. Nasci no dia ___/___/___.
Meu endereço é:
__________________________________________________

__________________________________________________
Meu telefone é:______________.
O nome da minha mãe é:________________________________
O nome do meu pai é:__________________________________
Na minha família também tem:_____________________ que eu
gosto muito e cuida de mim.
Minha altura:__________.
Meu peso:____________.
Cor dos olhos:_________________.
Cor dos cabelos:________________.
Meu auto-retrato:
3-Importante:

Sugerimos que para o projeto em si: Quem sou eu? Sejam escolhidas no máximo 3 das atividades propostas: História do nome, Dança da Cadeira e mais uma a escolha do professor de acordo com o nível da turma. Mas, ficam as sugestões para trabalhos posteriores.

O nome próprio de uma criança é seu marco de identificação e, por isso, é tão valorizado por ela. É por esse motivo que o trabalho com o nome próprio gera uma relação de identidade da criança com a escrita.

O modelo da escrita do nome em diferentes materiais informa à criança sobre quais são as letras e qual a quantidade necessária de letras para escrevê-lo, além de informar a posição e a ordem em que aparecem no seu nome.
É importante, nesse trabalho, a busca de semelhanças e diferenças, as posições
das letras, os diferentes modos de escrita.

A seguir apresentarei algumas atividades e brincadeiras que auxiliam o processo de
construção da escrita do nome:

Sugestões de Atividades Práticas:

1 – História do nome.

Objetivo: Conhecer a origem do seu nome.
Material: Folhas de papel ofício.

Procedimento:
•Propor às crianças que façam uma entrevista com os seus pais, procurando saber
qual a origem dos seus nomes.
•Montar com os alunos uma ficha para auxiliá-los na entrevista, incluindo perguntas tais
como: - Quem escolheu meu nome? - Por que me chamo.....? O que significa .....?
•Combinar com a turma o dia do relato e como ele será. ( A escolha do professor)
Sugestão de Atividade: Contar a história do seu nome aprendida com a entrevista e
ilustrá-la.
Interessante: Em papel pardo o professor poderá registrar o nome de todos e uma síntese
da origem do mesmo e fixar no mural.

Observações: Todos deverão trazer a entrevista no dia marcado, oportunizando o desenvolvimento da responsabilidade desde pequenos, e, caso isso não aconteça, o professor deverá estar preparado e saber qual atitude tomar frente a este problema.

2 – Dança da Cadeira:

Objetivo: Reconhecer a escrita de seu nome dentre a escrita dos nomes de todos os
colegas.

Materiais: Fichas com a escrita de todos os nomes ( uma para cada nome ) e cadeiras.
Procedimentos:

•O professor propõe às crianças que façam um círculo com as cadeiras.
•Depois distribui as fichas com os nomes para que as crianças fixem-as nas cadeiras.
•Inicia-se a dança das cadeiras onde ao término da música cada um deverá sentar na
cadeira onde consta a ficha com o seu nome.
Sugestão de Avaliação: Realizar a brincadeira diversas vezes sempre trocando as
cadeiras de lugar.

3 –Corrida dos Balões:

Objetivo: Escrever seu nome.
Materiais: Balões numerados, fichas com número de acordo com os balões e com nomes
e giz.
Procedimentos:
•Formar as crianças em duas filas.
•Distribuir uma ficha com um número para cada criança.
•Dado o sinal, uma de cada vez corre até os balões e estoura aquele que tiver o seu
número. Dentro estará uma ficha escrito o seu nome.
•A criança deverá ler altos eu nome e reproduzi-lo no chão utilizando o giz.

4 – Jogo dos Dados:

Objetivos:
•Integrar-se ao grupo, sabendo esperar sua vez de jogar.

•Reconhecer as letras do seu nome.
•Ordenar as letras que compõem seu nome.
Materiais:
•Tabuleiros com quadrinhos necessários para a escrita do nome em branco.
•Dados
com as letras dos nomes dos componentes do grupo.
•Fichinhas com as letras.
Procedimentos:
•Distribuir os alunos em pequenos grupos.
•Combinar com os grupos que apenas uma criança por vez jogará um dado, identificando qual a letra sorteada. Se esta fizer parte dos eu nome, deverá pegar a fichinha correspondente e colocá-la no tabuleiro.
Sugestões de Avaliação: Participar atentamente do jogo e identificar as letras do seu
nome.
5 – Sapata ou Amarelinha:

Objetivo: Reconhecer as letras que compõem seu nome.

Materiais: Pedrinhas e giz.

Procedimentos:
•Cada aluno irá traçar no pátio da escola sua amarelinha.Neste momento, uma amarelinha será diferente da outra, quando os nomes não possuírem a mesma quantidade de letras.
•Utilizando a pedrinha marcarão a letra que não deverão pular.
•O professor pode aproveitar a ocasião para questionar o aluno: Qual a letra que vem
primeiro? E depois qual será?
Sugestão de Avaliação: Escrever seu nome após pular a amarelinha.

Observação: Este tipo de brincadeira trabalha a ordem da escrita do nome, possibilitando ao aluno identificar qual a primeira letra, qual a segunda, e assim por diante até formar seu nome.
Ideia:

Com o trabalho da História do nome de cada usuário é interessante que sejam
pesquisados os diferentes significados dos nomes de cada um e seja montado um
mural com os mesmos: ilustrações feitas pelas crianças, a forma que sabem
escrever o nome, o desenho de seu nome, seu auto-retrato, fotos das crianças –
Este fica a critério do interesse e da criatividade do educador.
É um tema rico, importante e que, certamente, encantará aos responsáveis, exposto num belo mural.
Aproveite esta idéia e dê na montagem do mural uma originalidade, mostrando a sua
personalidade e a de sua turma.
Você pode e deve tirar um dia somente para a realização desta tarefa .
É fundamental a participação das crianças em cada detalhe.

Preferências:•Através de uma conversa informal o educador deve pedir que cada usuário fale um pouco sobre seu dia-a-dia. É importante deixar que as crianças se expressem livremente contando casos vividos em casa, em passeios, com a família etc.
•Num segundo momento oferecer uma folha em branco, revistas diversas, ilustrações diversas, e propor que façam uma montagem de recorte e colagem de tudo que encontrarem que parece com o seu dia-a-dia, com a sua vida, a sua realidade.
•Realizado a trabalho o educador junta para também adicionar ao Álbum da Vida – colocando por escrito além do nome da criança qual foi a proposta da montagem de recorte e colagem.
•Num outro dia, então, explorar as preferências de cada usuário: Brincadeira preferida, brinquedo preferido, comida preferida, lugar que mais gosta de estar, animal preferido, programa de TV preferido, artista preferido, música preferida, personagem de história infantil preferido, filme preferido, amigo que mais gosta, esporte preferido, cor preferida etc.
•É interessante registrar de forma sistematizada para também constar no Álbum da Vida – em anexo segue modelo de sistematização que poderá ser xerocada ou mimeografada.
•A montagem de um painel com as preferências é uma idéia bem legal e que, também, certamente, agradará à todos. Use a sua imaginação e aproveitando a idéia e os materiais que tem a disposição crie um lindo mural com o tema: As coisas que eu mais gosto ou As coisas que nós da turma tal mais gostamos ou Nossas Preferências.
•No Álbum da Vida podem ser adicionadas: fotos das crianças em diferentes momentos: no banho, brincando, na escola, dormindo, comendo... Como, também, pode ser utilizada uma técnica artística de pintura, cola colorida ou outra para a capa, que deve ser de papel mais resistente – cartão no caso – com o título: Álbum da vida – ali todos os trabalhos sistematizados serão acoplados e deverão ser encadernados ou presos com bailarinas, grampos, etc.

Brincadeira Legal:

Já que estamos trabalhando a individualidade de cada um pode ser realizada a
brincadeira: Quem é? Onde o professor vai dando dicas de características físicas,
de personalidades, caráter, hábitos, pertences de um aluno e todos terão que
descobrir quem é.
Tal brincadeira pode ser repetida quantas vezes o professor achar prudente e de
acordo com o interesse da turma.
Deverá ser estabelecido o que “premiar” para quem acertar. É diversão garantida!
Conclusão:
Os alunos devem perceber e compreender que cada pessoa é única, é diferente
das outras.
As pessoas podem até ter algumas coisas em comum, como cor da pele, preferência por um tipo de música, uma opinião, mas são diferentes das outras em outros aspectos. Ninguém é exatamente igual a ninguém!
Levar os alunos a refletirem sobre algumas pessoas que não aceitam as diferenças: de cor de pele, religião, outros gostos... Até concluírem que isso não é legal.O objetivo é os usuário perceberem, também, que como cada pessoa é diferente das outras, tem seu modo de pensar, de agir, os fatos que são importantes para alguém podem não ser para outra pessoa. Cada um tem seu Álbum da Vida, sua história.
Aproveite o Álbum da vida para trabalhar noções de anterioridade e posterioridade, levando-os a perceber, que seu álbum é uma forma de registro de sua vida, uma fonte da qual se pode obter informação sobre ela quando estiver mais velha.
Sugestões de trabalho com músicas no projeto:
•Sugerimos que sejam ouvidas, cantadas e dançada pela turma as músicas preferidas de cada um.
•Sugerimos, também, a brincadeira: Canoa Virou.
•Caso haja algum nome de aluno na turma que exista uma música conhecida, esta também pode ser ouvida.
Não esquecendo de levantar a questão: Quando duas ou mais pessoas tem os nomes iguais, os mesmos nomes, como fazemos para identificá-las? Exemplo: Esta música foi feita a Luciana que faz parte de nossa classe ou para outra menina chamada Luciana?
•Em um dos CDs que acompanha o projeto temos a música: Pula Corda – interpretada pela cantora e apresentadora infantil Eliana onde um trabalho de análise da letra: a preferência de uma criança pela brincadeira de pular corda, pode criar um ambiente alegre e propiciar momentos de prazer dentro do projeto do tema gerador. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um tema para projetos publicar!