A QUE VEIO ESTE BLOG?
VEIO PARA DIVULGAR PROJETOS NOS MAIS VARIADOS CONTEÚDOS, TEMAS, FORMAS, NECESSIDADES E AFINS, CLARO!
SINTA-SE A VONTADE PARA USUFRUIR DE TUDO QUE FOR ÚTIL PARA SUA AULA.
DIVULGUE, PARTICIPE, COMENTE!
04 DE JULHO DE 2011
Um blog aliado às pesquisas de professores, pois existem muitas possibilidades lúdicas pela net,
além de inúmeros endereços pedagógicos incríveis.
Aqui vocês terão as postagens originais, ou partes delas,
adicionados às demais informações necessárias, com os devidos créditos atribuídos.
Amiga blogueira, se desejar divulgar seus projetos, entre em contato.

PROJETO DIDÁTICO

PROJETO DIDÁTICO: Reunião de atividades que se articulam para a elaboração de um produto final forte, em que podem ser observados os processos de aprendizagem e os conteúdos aprendidos pelos alunos. Costuma partir de um desafio ou situação-problema. Trabalhados com uma frequência diária ou semanal, podem estender-se por períodos relativamente prolongados (um ou dois meses, por exemplo), tornando os alunos especialistas num determinado tema.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Projeto: Corpo saudável

Projeto Corpo saudável
Elaborado por Maria Cristina Almeida

 Apresentação

O corpo humano reage ao modo de vida, à alimentação, e a qualquer tipo de substância ingerida com a finalidade de alterar funções naturais do organismo.
Além das atividades físicas, é preciso perceber a importância da afetividade, do trabalho em equipe e da convivência com diferentes pessoas ou grupos, enfocando o conhecimento e desenvolvimento das manifestações corporais.
O corpo fala quando nos movimentamos, expressamos uma série de significados da cultura em que estamos inseridos. Alguns deles, com o passar do tempo, se tornam práticas organizadas e sistematizadas, obedecem a regras e são transmitidos de geração em geração.

Justificativa

Procurando novos enfoques de interdisciplinaridade, este projeto propõe abordar várias atividades, como manifestações que deverão convidar os alunos a lançar um olhar especial à cultura do corpo, ao bem estar, desenvolvendo práticas alimentares saudáveis e estratégias de redefinição da cultura corporal.
 Partindo da prática corporal estaremos expressando traços relevantes ao ensino de Educação física, por exemplo, trazendo-o para dentro da sala de aula, aliados as aulas de Língua Portuguesa: práticas dos gêneros literários.
 Assim, atividades costumeiramente deixadas de lado pelas aulas tradicionais, como brincadeiras, danças e jogos praticados pelas famílias, se igualam aos esportes dominantes e voltam a serem apreciados de forma diferente, inclusive.
“Ao interpretar esportes, jogos, lutas, danças ,etc, a turma consegue entender como essas manifestações se inserem na cultura e cria diferentes maneiras de adaptá-las ao ambiente escolar.”
À primeira vista, a necessidade de abordar a leitura em uma aula de Educação Física pode causar estranheza: será que o professor tem de trocar a ênfase no movimento e na vivência das práticas corporais pelos cadernos de esporte dos jornais e textos instrucionais próprios da área (regulamentos, súmulas e esquemas táticos)? “Muito pelo contrário”, defende Marcos Garcia Neira, professor de Metodologia do Ensino de Educação Física da Universidade de São Paulo (USP).
“A ideia de ler na disciplina deve ter como foco as práticas corporais e a compreensão de seus gestos, que são o texto do corpo.
Os gêneros verbais também têm seu lugar, mas como apoio ao entendimento do que os grupos produzem com o corpo.”
Sendo assim estaremos propondo também uma aproximação, no conteúdo Ciências.
Através de aulas práticas sobre saúde, boa alimentação, hábitos saudáveis, higiene, corpo humano, entre outros.
Traremos a tona, certamente, a interdisciplinaridade, em Matemática, Artes, Ensino Religioso, de forma agradável e estimuladora, oferecendo planos de aulas e atividades sugestivos, referentes ao tema.
Num contexto especial “Corpo Saudável” trará o tema drogas e seu uso indevido.
Para não enfatizarmos apenas a prevenção, ou cuidados específicos, levaremos os alunos a associarem: “corpo saudável é aquele sem drogas”.

Que ninguém se iluda: drogas (lícitas ou não) vão passar pela vida dos filhos em algum momento da adolescência. Às vezes, até antes.  Lidar com a questão é um desafio que envolve uma luta feroz contra um universo de sedução, prazer e altíssimo risco. Cair em tentação parece inevitável.
Drogas estão em todos os lugares que os jovens costumam freqüentar: festas, rodinhas de amigos, barzinhos, viagens e (horror!) dentro das escolas.
 Despertam uma curiosidade incontrolável e podem ser adquiridas com a mesma facilidade com que se compra qualquer artigo de primeira necessidade.
 O apelo é irresistível.
A inquietação que caracteriza essa fase da vida, a busca constante por modelos, a necessidade de encontrar explicações são em geral as razões que levam os jovens a experimentar novas sensações.
 Em português claro, eles têm a ilusão de que podem obter as respostas que procuram nesse novo mundo.
Em alguns casos, os jovens consomem drogas como uma maneira de expor suas críticas ao comportamento dos pais. 
Os adolescentes nem sempre conseguem avaliar os riscos que correm quando atendem ao apelo das drogas.
Precisamos  estar conscientes do poder das drogas , trazendo o tema das mais diversas formas possíveis  para o contexto escolar.

Fonte: http://www.klickeducacao.com.br/conteudo/pagina/0,6313,POR-265-,00.html


Diagnostico da situação
“FAZENDO AS PAZES COM O CORPO”

“Nosso corpo sempre reage de acordo com o tratamento que recebe.
 Tudo o que faz bem para a saúde deixa o corpo feliz.
Outras coisas deixam o corpo triste: quando você abusa e ele fica doente.
Mas existem algumas coisinhas que você pode fazer sempre, para ficar de bem com o seu corpo.
São hábitos simples e saudáveis, que a gente deve cultivar.
Seu corpo agradece!
 As pessoas só prestam atenção à própria saúde quando ficam doentes. 
Corpo não é bicicleta, que se pode trocar por uma mais nova quando começa a dar defeito. 
É preciso ter mais cuidados  para ter sempre energia e disposição.”



Situação esperada
Para viver bem

Mal-estar, enjoo, diarreia, tonturas, dor de ouvido.
São muitas as formas de nos sentirmos desconfortáveis com o nosso próprio corpo, de não termos muita disposição para brincar, conversar e até estudar.
Mas ser saudável não quer dizer somente estar livre de doenças.
Ser saudável significa estar bem consigo mesmo, estar feliz, alegre e de bem com a vida, e para isso, ter um organismo saudável faz muita diferença.
Boa alimentação, ambiente limpo, tranquilo e seguro para viver, ter amigos e momentos de lazer, são alguns dos requisitos para se ter uma vida saudável.
Para completar, é preciso preservar a saúde física, mental e o bem-estar social
Fonte:

Baseando-se na prática do viver bem, ao final das atividades deste projeto,espera-se que os alunos estejam:
Cientes do que é ter um corpo saudável.
Cientes dos cuidados necessários para bem viver.
Aptos para novos estímulos, conscientes dos malefícios das drogas ilícitas.

Descrição do projeto
As ações serão desenvolvidas:

Através:
-  Das aulas de Educação  Física,  Língua Portuguesa,Ciências,Artes,Ensino Religioso;
-  De leituras informativas, aulas expositivas, e demais intervenções escolhidas pelos professores;
- Da confecção de murais, atividades de artes e artesanato e outras atividades livres que surgirem durante o processo.

Abrangência
Todo corpo docente e discente da escola

Plano de ação
Objetivo geral
Explorar as diferentes culturas integrando os alunos às práticas saudáveis do corpo.

Objetivos específicos:
 - Identificar atitudes que contribuem para  manutenção do corpo saudável
- Conhecer atitudes que contribuem para a manutenção do próprio corpo
- Entender como as atitudes podem influenciar a saúde.
- Reconhecer-se como agente responsável pelo próprio corpo
- Compreender o que são atitudes saudáveis
- Saber que o alimento é fonte de matéria e energia para o crescimento e a manutenção do corpo.
- Estimular hábitos saudáveis alimentares
- Saber que hábitos não saudáveis podem contribuir para o surgimento de doenças
- Desenvolver as expressões e a cultura corporal como benefício saudável
- Esclarecer sobre a abordagem do tema das drogas
- Incutir valores pertinentes referentes ao não uso de drogas
- Desenvolver atitudes corretas em relação a prevenção ao uso de drogas
- Reconhecer a importância destas atitudes, mostrando consequências positivas
- Estimular a criatividade para efeito de autoestima
- Utilizar estratégias lúdicas,  tendo como alvo as atividades físicas, artísticas e  literárias,,inclusive.

Meta
Promover e ampliar o repertório sobre as culturas corporais.

Ações desenvolvidas
Conversações sobre assuntos relevantes vivenciados na rotina do andamento do projeto
Abordagem dos conteúdos pertinentes ao tema nas diversas disciplinas
Abordagem e exploração de textos diversificados, verbais e extraverbais
Atividades de artes e artesanato
Linguagem Corporal
Na disciplina, o corpo é encarado como um suporte textual, que carrega a história e a cultura de um grupo social.
Os gestos característicos de cada manifestação são o texto a ser lido, atividade realizada por meio da interpretação de uma série de códigos – não só biológicos mas também sociais e culturais. Associados a este movimento em atividades reais, lançaremos mãos dos recursos literários, noções científicas do corpo humano,etc
Gêneros como regulamentos e regras (texto instrucional) podem servir como apoio à leitura do movimento corporal, fornecendo elementos significativos para sua compreensão – o próprio fato de a prática ter um conjunto de normas formais já dá indícios sobre sua organização. Proporcionando ocasiões ricas referentes à interdisciplinaridade dos conteúdos.

Cronograma
 Discutido pelos professores, dependendo da abrangência de turmas.

Avaliação
Acontecerá durante todo  o processo, no que diz respeito à aquisição de conhecimentos necessários, e mudanças de atitudes par atingir a meta do corpo saudável, além de perceber novos estímulos artísticos, autoestima,criatividade,participação, colaboração e compreensão de obter e manter um corpo saudável.

Bibliografia
Revista Nova Escola Especial/Ciências
Revistas Projetos Escolares/Editora On line
Site Nova Escola
Site Canal Kids
Site Portal da Educação
Site Click Educação


Sugestões de atividades artísticas e artesanais

- Argila: Montagem de bonecos praticando exercícios saudáveis.
Modelos: postagem de brincadeiras utilizando argila: link:


- Modelagem de corpo humano: Utilizando papelão, desenhar o contorno do corpo de alunos, recortar em  tamanho normal.
Cada grupo poderá decorar este corpo com os seguintes temas:
1-   Alimentação saudável:  gravuras, fotos, desenhos , textos,etc.
2-   Exercícios físicos para manter boa forma: gravuras, desenhos, fotos, textos,etc.
3-   Drogas: causas, prevenções: fotos, gravuras, desenhos,textos,etc.
4-   Hábitos de higiene corporal: banho,escovação dental,etc.
5-   Hábitos de beleza saudáveis: corte de cabelos, manicure, limpeza de pele, etc.
6-   Hábitos saudáveis para  corpo e mente:  ioga, pilates, academia,hidroginástica,lutas marciais,etc.
7-   Hábitos espirituais: reflexões, religiosidade, frases pensamentos positivos ,etc.
8-   Música para o bem viver: músicas sobre autoestima, alegria,etc: gravuras de danças, textos,desenhos, letras de músicas,etc.
Ex: Gonzaguinha: Viver e não ter a vergonha se ser feliz.... (Plano de aula pronto)

- Ilustração de poesias: tema: brincadeiras, esportes, hábitos de higiene( lavar as mãos,etc)
- Bricolagem de palavras de revistas ou jornais: palavras sobre corpo saudável.
Ex: Viva a vida!, Eu amo frutas, curto suco de melancia,etc
-  Releituras de obras literárias referentes a ciências:
A Incrível fábrica de cocô,xixi e pum de Fátima Mesquita
Armando o corpo de Mônica Guttmann


Sugestões de aulas no Blog Linguagem e Afins:
Estão postadas com o título: Corpo Saudável


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Projeto: Tarsila,menina pintora


Tarsila,menina pintora

Apresentação:
Trata-se de uma obra na qual é apresentada a vida da pintora do movimento modernista.
A narrativa mostra ao leitor a personalidade paradigmática de Tarsila do Amaral, cujo histórico de vida se destaca entre outras personalidades célebres que contribuíram para o desenvolvimento cultural brasileiro.

Justificativa:
Mais uma vez, Lúcia Fidalgo, por meio de suas narrativas, mostra a reflexão feita sobre questões relacionadas ao processo de formação, de educação alicerçada em valores humanos.
 Ou seja, o livro apresenta um tema que pode articular debates sobre compreensão da vida nas escaladas escolares, nas inserções profissionais e nas nossas atitudes e escolhas em relação à própria vida.
 Estabelece conexões interdisciplinares com História, Literatura, Geografia, Artes Plásticas, Ciências Sociais e Filosofia, que podem ser exploradas na medida em que professor e alunos discutirem os temas e se conscientizarem de seus papéis de cidadão, bem como de suas perspectivas na vida social.

Projeto Pedagógico:  como identificar as contribuições oferecidas pelas celebridades brasileiras à edificação da cultura em geral, no sentido de propiciar transformações e perspectivas para se obter um futuro melhor.
Como reconhecer, nas pessoas “célebres” do mundo atual, os verdadeiros valores sob o ponto de vista ético  que orientem a conduta educacional de caráter humano.

Temas Secundários: sentimentos, terra, vida, família, ambiente, pintura, arte, educação, viagem.

Temas Transversais: ética, pluralidade cultural (na formação do Brasil), meio ambiente, trabalho.

Indicação:
Ciclo um: indicado para alunos do primeiro ao quinto ano.
Ciclo dois: indicado para alunos do sexto ano.

Objetivos:
  • Levar o aluno a se tornar um leitor capaz de atribuir sentido para o texto verbal e não-verbal, bem como vivenciar o processo artístico articulado por Tarsila do Amaral e compreender que a Arte é também um sistema simbólico de representação;
  • Fazer o aluno conhecer e apreciar a Arte, mas também ajudar a fazer conexões entre a temática abordada pelo livro com a vivência e os fatos reais, estabelecendo relação entre o texto e a realidade política, social e cultural brasileiras. Tornar o aluno leitor de textos capaz de ir além dos significados para o ensino de Língua Portuguesa, tornando-o capaz de interpretar o mundo geral da informação;
  • Criar condições para o aluno refletir sobre a maneira como, nos últimos tempos, as “celebridades” da atualidade são mostradas pela mídia. Neste sentido, propiciar situações, ambientes para questionarem, debaterem formas de mudanças de atitudes, perguntando: quais os elementos fundamentais que contribuem na formação, no nosso crescimento humano? O que podem representar as personalidades paradigmáticas para a contribuição social?
Propostas de atividade, antes da leitura.
Sugerimos levar os alunos à biblioteca.
Ajude-os a pesquisar sobre o comportamento da sociedade em geral, no final do século XIX até meados do século XX.
Outra sugestão: explicar aos alunos a situação histórica, o momento histórico mundial que servia de plano de fundo que contextualizava a vida da artista pintora.
Por exemplo, em 1922 comemorou-se o centenário da Independência do Brasil, ao mesmo tempo que São Paulo realizou a Semana de Arte Moderna.
Solicite ao professor de História algum material que possa mostrar o movimento tenentista, a industrialização, o crescimento das cidades, a mudança de velhos hábitos, o período de guerra, a explosão das imigrações, as transformações sociais e políticas que acabaram sendo expressas na arte da literatura, poesias, pintura etc.
Busque:
  1. Textos em notícias, imagens ou fotos da atualidade que possam retratar a vida das pessoas.
Sugerimos explorar assuntos que possam estar relacionados com princípios éticos ou valores morais, comparando as notícias e imagens do cotidiano das últimas décadas com as do tempo de Tarsila.
Procure explicar aos alunos quais eram os valores humanísticos defendidos pela sociedade no tempo dessa pintora.
Procure apontar as mudanças, especificando o comportamento dos indivíduos na sociedade de hoje, no que se refere ao:
1. Indivíduo, família e responsabilidade;
2. Respeito, obediência, educação e religião;
3. Trajes e pudor;
4. Mídia: veículos e comunicação.
  1. Pesquise sobre os pintores do Modernismo e analise com os alunos, observando as imagens, as características das correntes artísticas que refletiam o espírito desse período. É válido abordar a arte do século XX retratada, além de Tarsila, por Anita Malfati, Lasar Segall, Di Cavalcanti, e tantos outros.
  2. Tendo algum material desses artistas em mãos, propicie um momento de leitura em que o aluno possa identificar a textura do papel, as reproduções, os detalhes, bem como ver e compreender melhor certos aspectos da obra.
  3. Forme grupos e proponha uma apresentação. A equipe deverá analisar o material escolhido, anotando algumas informações para divulgá-las junto aos outros alunos.
Sugerimos: aproxime a autora, Lúcia Fidalgo, o criador das ilustrações, Robson Araújo, a obra Tarsila, menina pintora e os alunos, propondo pesquisas sobre a vida dos autores, além de Tarsila e suas trajetórias.

Iniciando a leitura/Sugestões para atividades:
  • Sugerimos ler a obra com os alunos monitorando o processo de leitura, anotando ideias principais, explorando a compreensão da escrita e seus conhecimentos do mundo. Amplie essa leitura, buscando no interior das páginas o sentido das imagens que ilustram o texto.
  • Leia a “orelha” da primeira capa. Ajude os alunos a dar sentido interpretativo para a colocação do editor Jakson Ferreira, no que se refere “a grande carência de paradigmas éticos”.
Lúcia Fidalgo procura evidenciar o contexto e as características da infância dos pais de Tarsila do Amaral sob o ponto de vista étnico.
Sugerimos que explore essa colocação da autora, propondo aos alunos que formem duplas e desenvolvam o seguinte exercício:
  1. Verifique as ilustrações das páginas 3, 8 e 9 e responda: quais os sentidos que as imagens despertam ou o quê elas representam para você?
  2. Leia a página 3 e a partir da narrativa, imagine e descreva o lugar onde Tarsila morava com sua família.
  3. Qual era a atividade profissional do pai de Tarsila?
  4. O que a fazenda e todo o meio ambiente representava na vida de Tarsila?
  5. Você seria capaz de descrever o comportamento de Tarsila na fazenda durante sua infância?
  6. Qual idade você daria para Tarsila quando, em sua trajetória, ela passou a se interessar pela arte da pintura?
  7. Encontre a página e aponte o trecho no qual Tarsila, durante a infância, demonstra o seu interesse pelas artes plásticas.
  8. Quais as influências que a pintora recebeu em sua trajetória artística? Encontre algum trecho no livro em que alguma dessas influências possa ser apontada.
Lúcia Fidalgo oferece ao leitor o retrato da vida das pessoas como ela é, seja no cotidiano ou entre a família.
De modo sutil, ela insere a questão da responsabilidade, demonstrada pela relação pai e filha, e a obediência da filha em relação ao pai.
Pergunte aos alunos:
  1. Tarsila, quando recebeu de seus pais a oportunidade de estudar, soube aproveitá-la de modo alegre e feliz? Sim ou não? Justifique a sua resposta.
  2. O fato de Tarsila aproveitar as oportunidades significou muito para ela e muito mais para a cultura artística brasileira. Você pode explicar o por quê?
  3. De que modo Tarsila aprendeu outras línguas? E quais foram elas?
  4. Qual era a nacionalidade da sua primeira professora de língua estrangeira?
  5. Qual o motivo que fez a família da professora pedir ajuda ao pai de Tarsila?
  6. Qual o tipo de trabalho oferecido aos imigrantes estrangeiros pelos brasileiros donos da terra?
Sugerimos refletir com os alunos sobre as questões do trabalho.
O que mudou no Brasil no tocante os aspectos históricos e geográficos, por exemplo, em relação à imigração? 
Sugerimos explorar o seguinte trecho da narrativa: “A jovem professora tinha apenas 18 anos e ensinava francês a Tarsila”.
  1. Qual o papel que a jovem professora representava para Tarsila?
  2. Qual o papel que representava para os pais dela?
  3. Qual seria o significado do trabalho para a professora?
  4. E qual seria o significado para os pais dela?
De acordo com os PCNs, reconhecer a existência do uso de outras línguas diferentes da Língua Portuguesa significa não só uma ampliação de horizontes como também a compreensão da complexidade do país.
Como sugestão, instigue os alunos a refletir sobre essa questão relacionando-a com a língua materna, promovendo a compreensão de como se constituem identidades e singularidades de diferentes povos e etnias, assim como diferentes linguagens presentes nas diversas regiões do Brasil e de outros países.
Que influência teve ou ainda tem o estrangeirismo na nossa cultura?
Cite alguns no idioma, na arte, na ciência, no trabalho etc.
Sugerimos explorar o comportamento de Tarsila em relação ao meio ambiente e ao gosto de viver na fazenda em contato com a natureza.
Forme grupos e, para cada um deles, solicite que elaborem um texto poético retratando a fazenda, a natureza.
Retrate também as trajetórias de formação e as realizações de Tarsila em:
  1. Tarsila na infância                                d. Tarsila no internato
  2. Tarsila na juventude                             e. Tarsila em terras estrangeiras            
  3. Tarsila adulta                                          f.  Tarsila bem brasileira
Lúcia Fidalgo constrói sua narrativa em forma poética, que ressalta o contexto, o talento e as realizações de Tarsila do Amaral.
  • Sugerimos explorar a linguagem visual, convidando os alunos a:
  1. Identificar, nas ilustrações, a pintura de Tarsila.
  2. A escultura de Auguste-René Rodin.
  3. As imagens produzidas pela indústria gráfica.
  4. Identificar o “grupo dos cinco” do movimento modernista no Brasil.
  5. Relacionar o nome dos cinco.
Quando alguma pessoa faz arte, sabemos que ela registra a sua maneira particular e pessoal de ver, sentir, emocionar-se, relacionar-se e pensar sobre a vida.
Desse modo, lance aos alunos perguntas para escolherem a alternativa que mais se aproxime como resposta:
  1. Em sua opinião, qual fato emergia nas obras de Tarsila?
  1. Um contexto social, político.    4. Um novo movimento cultural.
  2. Um sentimento religioso.                  5. O surgimento de novos sentimentos.
  3. Uma filosofia de vida.                       6. Os conflitos humanos.
  1. Qual a forma mais frequente nos desenhos de Tarsila:
  1. O cubismo?________
  2. O expressionismo? _________
  1. Qual o presente que Tarsila deu ao seu marido:
  1. Um par de sapatos?
  2. Uma pintura de um homem enorme, com um pé muito grande?
  1. Qual o nome do quadro escolhido por Tarsila:
  1. O homem sem sapato?
  2.  ABAPORU: homem que come carne humana?
Sugestão para leitura formal e interpretativa das obras de Tarsila:
  • A obra é abstrata? Figurativa? Por quê?
  • Quais as cores que mais aparecem? São cores quentes? Frias? Neutras? Suaves? Há contraste?
  • Qual a técnica de pintura utilizada? Lápis de cor, aquarela, pintura a óleo, giz de cera, gravura?
  • Quais as sensações que as pinturas de Tarsila te despertam? Paz? Saudade? Repulsa? Medo? Outras? Quais?
Sugerimos formar grupos de no máximo quatro alunos. Proponha:
  1. Escolha um dos temas, abaixo relacionados, que Tarsila utilizou para pintar um de seus quadros e tente criar uma obra de arte.
Para desenvolver o seu trabalho, você pode escolher a arte do desenho, da pintura, da poesia, da música, da encenação, enfim.
  1. Os operários                     d)  Caipirinha
  2. Um homem                      e)  A negra
  3. O amor 
Publique os trabalhos em murais da escola com cartazes ou da forma que preferir.
Gramática Textual: Procure no texto e observe as palavras e expressões.
  1. Observe: “O tempo apressado fazia Tarsila crescer com vontade de ser do tamanho do mundo”.
  1. Identifique os substantivos e classifique-os.
  2. Identifique o adjetivo.
  3. Classifique os verbos em flexão, modo, tempo e pessoa da conjugação.
  4. Em sua opinião, qual o significado da expressão “crescer com vontade de ser do tamanho do mundo”?
2.      Reescreva o trecho abaixo, de forma prevendo ou narrando algum fato que atingiu o meio ambiente causado pela chuva (trecho confuso!), utilizando algumas das alternativas.
“Dizem que quando as árvores se mexem muito forte, é sinal de que vai chover trovoada”.
  1. Muita chuva nos campos abastecendo as represas e açudes, propiciando muita colheita de grãos nas lavouras.
  2. Rios cheios significam inundações.
  3. Aves, animais felizes entre flores no campo.
  4. A triste realidade na cidade é sinalizada por muitos ventos e trovoada.
  1. De acordo com o livro, Tarsila sabia histórias de onças contadas pelo povo da terra.
  1.  Você sabe de alguma história contada por alguém de sua família?
  2. Escreva três orações sobre “casos de onça pintada”.
  1. Dê um significado para os termos:
  1. “Cruzar os mares”
  2. “Pintando as cores da vida”
  3. “Fazer tudo ficar mais colorido”
  1. Encontre o significado para as palavras:
  1. Antropófago, antropofágico, antropólogo, antropofagia
  2. Deglutir
  1. Tarsila queria viver cem anos. Quantos anos você quer viver?
Uma coisa puxa outra:
Sugerimos esclarecer ou ajudá-los a compreender quem são realmente as personalidades paradigmáticas, apresentando quais delas podem servir de inspiração para a construção do nosso futuro.
Sugerimos citar Heitor Villa-Lobos, personalidade expressiva da música brasileira.
Questionar conhecimentos sobre autores brasileiros da atualidade.
Quais os de sua preferência?
Pesquisar, selecionar recortes de reportagens e caderno especial que revelem personalidades da História, Ciência, Literatura, enfim, que muito fizeram para o desenvolvimento social (como, por exemplo, a de Carlos Chagas e Lígia Fagundes Telles, publicadas recentemente pelo jornal O Estado de S. Paulo).
Também sugerimos filmes em vídeo mostrando documentário sobre a vida de Chico Mendes (Discovery. Chico Mendes: O preço da Floresta), Irmã Dorothy Stang, ex-ministra Marina Silva entre outras, que arriscaram e até perderam a vida por uma causa humanitária.
Explore, ainda, a história da vida de personalidades estrangeiras que se destacaram internacionalmente, por exemplo, a vida de Albert Einstein, Albert Sabin, Madre Tereza de Calcutá etc.
 Pergunte: Entre as celebridades que se destacam na música, no esporte, no cinema, na TV., ou no mundo da ciência, da política, enfim, qual delas te inspira mais admiração?
Por quê?
Se você fosse, por exemplo, um médico ou um dentista ou um professor ou um político etc., o que faria para melhorar a situação de sua comunidade?
Em qual pessoa de sua família você se espelharia para construir o seu futuro?
Por quê?
Existe alguém de sua escola, um professor, amigo, cujo comportamento você admira?
Justifique.

Desafio:
Lúcia Fidalgo menciona no livro que Tarsila encontrou uma carta.
Pois bem, propomos aos alunos que escrevam uma carta contando quais são seus planos para sua vida e propiciem um modo da pessoa que eles mais admiram encontrá-la.
Pense, depois responda: A palavra Dulce lembra o quê?
Em sua opinião, por que Tarsila escolheu para sua filha o nome Dulce?

Sugestões para avaliação:
Participação nas atividades; atendimento às propostas de trabalho; desempenho nos trabalhos em grupo e nos debates, e criatividade.
Ressaltamos que as atividades aqui propostas têm por objetivo oferecer subsídios para a mediação do trabalho pedagógico com a obra Tarsila, menina pintora, da PAULUS Editora, e que não pretendem ser determinantes no trabalho desenvolvido em sala de aula, tendo em vista que somente o professor conhece as necessidades específicas de sua turma.






sábado, 23 de julho de 2011

Projeto: Gêneros Textuais


Gêneros textuais

Objetivos:
1. Motivar nos alunos o prazer pela leitura.
2. Reconhecer os diferentes gêneros textuais.
3. Incentivar a produção escrita.


Descrição:
Este projeto encontra-se na área de Língua Portuguesa deste site.
O projeto trabalha com leitura de histórias e gêneros textuais diversos, além de interpretações, recriações e criações de histórias.


Sobre o tema:O homem, para se aperfeiçoar em algo, precisa se exercitar. Nesta concepção, existe a necessidade de trabalhar interpretações de histórias, pois cada história transmite um conhecimento útil para nossa vida em sociedade.

Integração curricular:
Língua Portuguesa e Artes.
Temas transversais: Pluralidade Cultural.
Material necessário:
Livros de histórias diversas, HQs (histórias em quadrinhos), papel almaço, papel ofício, cartolina, lápis de escrever, lápis de cor, computador (com Internet), impressora.
Faixa etária: Ensino Fundamental
Site BasePortal EduKbr


Atividades:
1. Sensibilização: O professor pode pedir para que os alunos levem para a escola algo que gostam de ler ou com o qual têm contato. O docente também pode pegar na biblioteca da escola exemplares de revistas, jornais, histórias em quadrinhos, tirinhas e livros. É necessário que haja um planejamento (dinâmica) para que os alunos possam manipular todo o material, como por exemplo: espalhar pelo chão, dividir os alunos em grupos (cada grupo com um exemplar de cada gênero textual). Depois do primeiro contato, o professor deverá explicar um pouco sobre cada um dos gêneros.

2.
Os alunos levarão para casa os exemplares que mais os interessarem ou cada grupo poderá ficar responsável por um gênero em específico e elaborarem uma redação com as informações sobre o gênero e um breve resumo do texto para apresentarem à turma. Os alunos devem planejar uma apresentação que provoque a curiosidade pela procura sobre o gênero.

3. Ampliação: Com todas as informações básicas sobre os gêneros textuais, os alunos deverão ir à procura de materiais disponíveis na Internet (vide sites base e de apoio). Cada aluno/grupo poderá pesquisar mais sobre o gênero escolhido, como: escritores conhecidos, festivais de leitura, outros projetos etc.

4. Após todos os estudos e pesquisas, cada aluno/grupo deverá construir uma história coletiva do gênero textual desejado, seja tirinha, crônica, jornal, poesia; criar e recriar histórias em quadrinhos, fábulas etc.

5. Sistematizado o trabalho, os alunos poderão apresentar para a turma.


Atividade Extras:
Visita a feiras de leitura, sarau ou qualquer evento ligado a diferentes gêneros.

Cronograma:

1.       Primeira semana
Atividades 1 e 2

2. Segunda semana
Atividade 3

3. Terceira semana
 Atividade 4 e 5



Sites de Apoio:
Site da Turma da Mônica Jovem
Site de fábulas
Site de tirinhas do Garfield
Site do jornal O Globo
Site de poesia

Autor do Projeto:
Lidiane Rodrigues (com adaptações da Equipe do Celeiro de Projetos)

Fonte:

Projeto: Arca dos bichos

Arca dos bicho (e das poesias!)
Veja como a leitura de um livro
 de Vinicius de Moraes
inspirou um interessante projeto,
favorecendo a alfabetização,
o estudo dos bichos e
 a conscientização ecológica

Por Juliana Bernardino

Objetivos:
Estimular o gosto pela leitura
Apresentar a poesia de forma prazerosa
Impulsionar o processo de alfabetização
Adentrar o estudo dos bichos

Leitura e investigação:
Ao iniciar a leitura do livro com as crianças, Hellen procurou envolvê-las de diversas formas, por exemplo, questionando: Por que será que o livro chama-se A Arca de Noé?
Quem conhece a história da Arca? Os alunos tiveram de pesquisar a respeito, chegando à conclusão de que as poesias de Vinícius falam sobre os animais da Arca.
"A curiosidade mobilizou os alunos.
Eles trouxeram histórias, fotos e até um filme que eu não conhecia", conta.
Com as conclusões do grupo sobre a Arca, foi produzido um texto coletivo.

Estudando os bichos:
Depois de ler com os alunos, Hellen investigou se eles gostariam de conhecer melhor os bichos.
E o retorno foi positivo.
Assim, começaram os estudos sobre aqueles que foram transformados em personagens nas poesias de Vinícius de Mores.
 Os insetos, os animais domésticos e os ameaçados de extinção.
Liam a poesia sobre um determinado bicho e depois pesquisavam:
Onde ele mora?
Do que se alimenta?
Depois, os bichos eram levados para a aula de artes, e as crianças faziam dobraduras, recortes, colagens entre outras atividades.

 Um livro puxa o outro:
Algumas poesias de A Arca de Noé falam sobre bichos em extinção, o que levou a turma a entrar nos estudos do meio ambiente.
"Para aprofundar melhor esse assunto, propus a leitura do livro Que Planeta é Esse?, que procura soluções para o planeta voltar a ser verde e bem cuidado", comenta Hellen.
As crianças foram convidadas a buscar novas poesias, agora sobre meio ambiente, e as apresentaram na tarde do sarau, realizado na escola em um sábado.
"Cada criança leu para os colegas a poesia que encontrou e depois a turma ainda criou novas poesias coletivamente, fazendo chuvas de ideias para encontrar boas rimas."

Ambiente letrado:
Lecionando para uma turma de alfabetização, Hellen procurou trabalhar leitura e escrita sistematicamente, em todas as aulas do projeto.
 Algumas vezes lia para eles, outras pedia que acompanhassem com o dedinho em seus livros (mesmo os que ainda não sabiam ler).
Também dava como tarefa de casa a leitura de uma poesia, estimulando o envolvimento das famílias.
 "No dia seguinte eu sempre perguntava 'quem leu para vocês?', 'o que descobriram?'.
E fazíamos juntos a interpretação do texto", detalha.
Segundo a professora, os avanços na alfabetização foram notáveis ao longo do projeto.
Também, pudera: além da leitura e interpretação de texto, Hellen trabalhava:
  diferentes gêneros textuais: curiosidades, fábulas, contos, textos jornalísticos, entre outros. análise e síntese da escrita (quais letras têm a palavra foca? Quantas sílabas? etc.) cruzadinhas, caça-palavras e álbum dos animais. Este último foi montado junto com os alunos e reuniu todas as curiosidades encontradas sobre os bichos. "O álbum visitava a casa dos alunos, para os pais lerem também", conta Hellen.

Produto final:
Além de lerem as poesias de Vinícius e outras que pesquisaram, as crianças tiveram a oportunidade de escrever os seus próprios poemas e ilustrá-los. "Com as pesquisas e os estudos sobre os bichos, os alunos foram ganhando bagagem para fazer um texto autoral.
Todo o conhecimento se transformou em matéria-prima para as novas poesias", explica Hellen.
Os poemas escritos pelas crianças integraram o livro A Arca dos Bichos.
 "As crianças escreveram as poesias no papel, fizeram as ilustrações e eu digitalizei todo esse material.
Depois mandei para uma gráfica imprimir um livro bem acabado e bonito", conta.
Além do livro, Hellen, com a ajuda de um pai de aluno, montou um filme que apresenta os pequenos poetas declamando suas poesias.
 "Fizemos um cenário com os bichos da Arca, ensaiamos os textos e as crianças se reuniram em grupos para recitar os textos.
Depois, essas imagens receberam uma edição e nós reunimos os pais para exibir a gravação em um telão.
Foi muito emocionante", lembra a professora.

Livros trabalhados:
 A Arca de Noé, de Vinicius de Moraes. Editora Cia das Letrinhas.
Um verdadeiro clássico com 32 poemas infantis, a maioria sobre bichos, feitos para ler ou cantar.
 O próprio Vinicius de Moraes musicou alguns desses poemas, e eles tornaram-se clássicos da MPB para crianças.
 Que planeta é esse?, de Regina Rennó. Editora FTD.
A Terra, antes tão verde e azul, agora está mesclada à cor cinza da poluição e da devastação.
Como reverter esse quadro?
Talvez a solução seja tão simples que só o espírito infantil consiga visualizá-la.

 Fonte: